Redundância é a repetição de um ou mais dados no modelo, que pode ocorrer de forma intencional ou não (dependendo do objetivo a ser traçado). Para entender os conceitos apresentados neste artigo, é necessário que você tenha as noções básicas de banco de dados relacionais, para não ficar perdido. Por exemplo, precisa conhecer o que é uma tabela, o que é um atributo etc.

Por isso, em tais situações, pode ser necessário considerar técnicas de desnormalização cuidadosamente planejadas. Tenha em conta que existe uma dependência entre o atributo ‘nome de fábrica’ e ‘ano’ com o ‘código de fábrica’, entretanto, estes atributos não dependem da chave principal da tabela que é ‘placa’. Considere que os campos de origem e destino não têm relação direta com o campo de código, mas têm uma relação direta com o código de voo, já que são informações relacionadas a uma viagem aérea, por exemplo. Assim, podemos mover essas informações a uma nova tabela sem que os dados percam as relações originais.

Regras 2NF (segunda forma normal)

Da mesma forma, para aplicar a terceira forma normal é necessário que já tenha sido feita a normalização na segunda forma normal. Vejamos as três primeiras formas normais do processo de normalização de dados. A principal finalidade do processo de normalização é curso de analista de dados eliminar as anomalias de inserção, atualização e exclusão. Por restrições de chave, entende-se chaves primárias (PK), chaves estrangeiras (FK) e chaves únicas (UK). Por valores de domínio entende-se o conjunto de valores válidos para cada determinada coluna.

Contudo, para a maioria dos casos a terceira normalização já está suficiente. A 5FN é mais restrita que a 4FN, e também se aplica à tabelas com 3 ou mais colunas na chave primária. Novamente, para que a 5FN seja atingida, é necessário atingir-se a 4FN primeiramente. Todas as colunas devem ter dependência funcional com a totalidade da chave primária e nada mais além da chave primária.

Restrições Chave e Dependências Funcionais[editar editar código-fonte]

Este post irá guiá-lo através dos conceitos fundamentais da normalização de dados, mostrando como ela pode ser aplicada para otimizar suas operações de banco de dados. Normalmente após a aplicação das regras de normalização de dados, algumas tabelas acabam sendo divididas em duas ou mais tabelas, o que no final gera um número maior de tabelas do que o originalmente previsto. Este processo causa a simplificação dos atributos de uma tabela, colaborando significativamente para a estabilidade do modelo de dados, reduzindo-se consideravelmente as necessidades de manutenção. O conceito de entidade é muito importante neste processo, ou seja, devemos identificar quais são as entidades que farão parte do projeto de banco de dados.

Normalização de banco de dados

Normalização é uma ferramenta usada no projeto lógico que serve para reestruturar tabelas e atributos, reduzindo assim redundâncias e permitindo o correto crescimento do banco de dados. Por meio dela que bancos com muita movimentação garantem sua integridade após remoção, inserção e alteração dos dados. Para fechar a resposta a esta pergunta, normalização de banco de dados consiste na normalização da estrutura do banco de dados, enquanto que normalização de dados corresponde à normalização dos dados já existentes nas tabelas. Bases de dados NoSQL sacrificam consistência em troca de escalabilidade, e por esse motivo, anomalias têm que ser toleradas. Apesar disso, ainda assim existem alguns conceitos referentes à normalização em NoSQL, mas não são tão bem definidos ou amadurecidos.

Ferramentas de verificação de integridade de dados

Curiosamente é mais fácil fazer isto no modelo de documento, mas porque quase todo mundo que adota esse modelo ainda pensa como no relacional não fazem certo também. A normalização do banco de dados é o processo de transformações na estrutura de um banco de dados que visa a eliminar redundâncias e a eliminar anomalias de inserção, atualização e exclusão. Como foi visto ao longo deste guia, a normalização de banco de dados é um processo fundamental para garantir a qualidade e eficiência no armazenamento e recuperação de informações em sistemas computacionais. A normalização de banco de dados é um processo importante para garantir a eficiência e integridade dos dados armazenados. No entanto, é importante considerar alguns aspectos antes de iniciar o processo de normalização. A forma normal de Boyce-Codd busca evitar dependências funcionais de atributos que não são chave primária.

  • A restrição relacional mais importante é a restrição de Chave.
  • Para consolidar o entendimento, vamos apresentar um esquema contendo os principais conceitos do assunto.
  • Em nosso banco de dados, temos duas pessoas com o mesmo nome Robert Phil, mas moram em lugares diferentes.
  • Em seguida, criamos uma nova tabela com a chave primária da tabela anterior e o grupo repetitivo.

Nada te impede de chegar até a 5FN ou até mesmo na DKNF e ainda assim ter um banco de dados mal-projetado, gambiarrado e/ou inadequado se ele foi mal-idealizado por razões alheias à normalização. Uma relação R está na EKNF se para cada dependência funcional elementar de R, então X→A, sendo (a) X uma chave de R ou (b) A um atributo elementar chave de R. Existe um algoritmo https://ocorreio.com.br/do-novato-ao-profissional-bootcamp-e-o-caminho-mais-eficaz-de-um-curso-de-analista-de-dados/ publicado (algoritmo de Barnstein) para se normalizar tabelas e levá-las até a 3FN. Porém, pesquisas realizadas posteriormente descobriram que esse algoritmo é um pouquinho mais rígido do que a 3FN exige, mas ainda sem satisfazer a BCNF ou a 4FN. Por esse motivo, essa forma normal foi chamada de forma normal de chave elementar (elementary key normal form – EKNF).

Quinta Forma Normal[editar editar código-fonte]

Porém ela ainda não atende aos requisitos da Segunda Forma Normal (2FN). Esses dados redundantes desperdiçam espaço no HD do seu computador, além de criar problemas de manutenção. A restrição relacional mais importante é a restrição de Chave. Modelar dados é provavelmente a característica mais importante que um desenvolvedor deve ter, e a maioria, mesmo experientes, é bem ruim nisto (eu sou ainda depois de 36 anos fazendo). Curiosamente a desnormalização pode ajudar evitar JOIN de leitura, mas se usado em exagero pode criar uma espécie de JOIN de escrita que é muito pior facilitando criar deadlocks e outros fenômenos prejudiciais. Entretanto, apesar de ser o vale-tudo, existem situações onde a UNF aplicada de forma inteligente pode ser vantajosa e muitas bases NoSQL se aproveitam disso.

  • Forma normal se refere à dependência multivalorada, será o suficiente para acertar muitas questões.
  • Só porque os dados sejam os mesmos em dois lugares não quer dizer que seja a mesma informação.
  • Por exemplo, ao armazenar informações sobre clientes e seus pedidos, a normalização evita que os dados do cliente sejam repetidos em cada pedido, armazenando-os em tabelas separadas e criando uma relação entre elas.
  • A 6FN não foi definida para ser algo útil na prática, ela tem mais a finalidade de ser um limite teórico que defina qual é o ponto final a partir do qual nenhuma outra normalização seria possível.
  • Esses exemplos ilustram como a normalização de banco de dados pode melhorar a eficiência e a integridade dos dados, evitando redundâncias e inconsistências.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *